domingo, 1 de maio de 2011

Ja me enganei sobre muitas pessoas e também me enganei sobre mim mesma, já disse nunca mais e fiz tudo de novo, já pensei que fosse pra sempre e nem percebi quando acabou. sim, errei muito e erro sempre. Machuco quem não deveria e me decepciono com aqueles que eu mais amo, já escrevi e não mandei, já disse te amo quando deveria dizer ‘te quero bem’ e já quis dizer te amo e no lugar disse apenas ‘eu gosto de você’. Sei exatamente o que quero fazer daqui a 10 anos, mas não sei que roupa vou colocar amanhã. Não lembro o que comi ontem, mas lembro exatamente de cada palavra de carinho que já ouvi. Sinto saudade do que não tive, sinto falta até mesmo de quem esta perto de mim. Posso amar sem ser notado, posso morrer de ciúmes e mesmo assim conseguir sorrir, posso esquecer quem me deixou triste; mas não esqueço jamais de quem me fez feliz.
Encontrei esse texto em uma comunidade e achei que simplesmente, me traduziu. Falou tudo que eu queria falar.

domingo, 17 de abril de 2011

...

Eu quero alguém pra passar minha tarde de domingo...
Quero alguém pra assistir um filme ou só pra ficar ouvindo o barulhinho da chuva no telhado... Alguém que me ligue no meio da noite só pra dizer que me ama, ou que fique bravo caso eu resolva ligar e o acordar...
Quero alguém pra passar meu tempo nostálgico, mesmo que me ocupe só com bobagens ou chatices momentâneas... Mas eu quero um alguém, que não precisa ser perfeito ou imperfeito demais, e sim que me preencha, me preocupe e que realmente valha a pena.
Eu quero alguém pra passar meu dia, só não sei se esse "alguém" é, realmente, quem estaria disposto a fazer tudo isso por mim. Mas eu acho que é sempre assim, né?

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Amor próprio...

Acho incrível a capacidade que o ser humano tem de culpabilizar o outro por suas própias falhas.
Realmente, ninguém é perfeito, ninguém ta livre de cometer erros... Mas porque toda vez que erramos com alguém, buscamos uma falha desse alguém pra apontar o motivo do nosso erro?!
Eu erro sim, e quem não erra? Mas será que pode ser considerado um erro ter amor próprio? Amar primeiramente à mim, pra depois amar outra pessoa? Talvez possa parecer egoísmo... Mas na realidade não é! A gente tem que dar muitas vezes com a cara no muro pra se tocar que temos que estar em primeiro lugar pra tudo na nossa vida, ninguém pode tirar nossa importância. Somos importantes pra nós mesmos, e as vezes temos que ser muito mais importantes que qualquer coisa.
Ultimamente tenho me importado comigo mesma todos os dias. Claro que pra isso eu passei anos da minha vida aprendendo a me auto-valorizar, mas hoje eu vejo que só eu posso me dar essa importância toda! Porque para os outros, hoje posso ser a pessoa mais importante do mundo, mas amanhã já vou ter cumprido meu papel, aí tchau e bença!
Pode parecer meio doido isso que eu to tentando falar, mas é exatamente o que devemos aprender a fazer... TER AMOR PRÓPRIO!! E errar, quantas vezes for preciso!

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Entre uma decepção e outra, que tal uma pausa para aprender?

Tem época na vida da gente que parece que os encontros 'amorosos' são mais uma provocação do que uma oportunidade de se sentir satisfeito e feliz... Assim, vamos contabilizando decepções e desacreditando na possibi-lidade de viver uma experiência positiva e motivadora.
Quando isso acontece, creio que o melhor seja parar. Uma pausa para aprender. Ou melhor, antes apreender. Perceber o que está acontecendo, quais são nossos verdadeiros desejos e quais tem sido nossas atitudes para torná-los concretos.
Muitas vezes, fazendo uma análise mais justa e desapegada, sem assumir nenhum papel, nem o de vítima das armadilhas da vida, nem da sacanagem dos outros e nem o de culpado, como se tudo o que fizéssemos estivesse definitivamente errado, terminamos descobrindo que há alguma incoerência nisso tudo.
Só que para isso precisamos de tempo... e principalmente de coragem para admitir limitações, assumir pensamentos negativos e confiar mais na sabedoria da vida e seu ritmo. O que acontece, no entanto, é que a maioria de nós não quer esperar, não quer refletir. Tem apenas um único pensamento que alimentamos o tempo todo: quero namorar, quero ter alguém!!!
Será que estar com alguém é o mesmo que estar feliz? Pode ser que sim, mas pode ser que não... e se por qualquer motivo você não tem ficado com quem deseja, talvez seja o momento ideal para um intervalo, tão útil entre uma decepção e outra...
Tempo de se observar, de observar as pessoas e ouvir o que elas dizem. Tempo de aprender, crescer, ter uma nova conduta, desenvolver uma nova postura. Aguardar até que a vida lhe mostre qual é o melhor caminho a seguir... mas para ver, você precisa estar atento... sem tanta ansiedade, sem tanto desespero para tentar fazer com que as coisas aconteçam do jeito e na hora que você quer...
E se nenhuma resposta vier, talvez signifique que você precisa ver e ouvir com o coração. Respeitar o silêncio. Aceitar a ausência de quem você tanto deseja encontrar... Talvez não haja uma resposta e nem haja uma expli-cação.
Às vezes, simplesmente não existem respostas nem explicação. Apenas a vida. Apenas as pessoas. Apenas o mundo. Apenas a dor e o amor. Apenas...
E se insistirmos em não aceitar, em brigar, em nos rebelar, em nos revoltar... conseguiremos tão somente mais dor... e menos amor. Aceite que você não tem o controle, que você não pode decidir sozinho, que o universo tem seu próprio ritmo. Faça o que está ao seu alcance; faça a sua parte... e bem feito; da melhor maneira que puder...
E o que não puder, entregue e espere... porque embora diga sabiamente a música "quem sabe faz a hora, não espera acontecer", tem ocasiões nesta vida em que quem sabe espera acontecer e respeita a hora de não fazer... até que um dia, o amor de repente acontece... porque seu coração estava exatamente onde deveria estar para ser encontrado!

(Rosana Braga)

quarta-feira, 30 de março de 2011

Muito tempo depois, lendo e relendo minhas postagens me deparei com um texto, escrito por mim mesma, e que pode traduzir esse meu momento atual...

"Se cada pessoa tivesse seu nome escolhido de acordo com um adjetivo mais marcante, o meu seria: Insegurança! Percebi isso de uns dias pra cá, e desde então, fica martelando na minha cabeça mil e uma maneiras de tentar o diferente, então é aí que ela aparece. Poderia substituir a palavra insegurança por covardia. A covardia de tentar o melhor por medo de perder o pouco que possuo, me tornando assim, sujeita a aceitar apenas aquilo que me conquistou... Às vezes sinto vontade de romper todas as barreiras, fugir do cotidiano e enfrentar as tais “pedras do caminho”. Mas são apenas vontades, em seguida elas são tomadas pelo receio, pois não me permito voar, assim, tão alto. Então provavelmente continuaria a me chamar Insegurança..."

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Eu ainda não como verdura, durmo tarde, acordo mais tarde ainda, choro por bobagem, do risada demais, odeio estudar, amo batata, fico a tarde toda na frente do computador, tenho preguiça constante, sonho coisas bizarras, danço na frente do espelho... e principalmente, eu ainda sinto saudade!

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Angustia...

Existem certos momentos na vida em que os valores se transformam... Aquilo que um tempo atrás era prioridade, agora se transformou em futilidade. E hoje a prioridade é viver, lutar e ser feliz! Tem momentos em que desconfio da existência de um Deus, não entendo porque pessoas de bem sofrem, e quem faz o mal anda por ai gozando os prazeres da vida... Se esse tal Deus que todos falam realmente existisse deveria ser tudo diferente, é injusto quem faz o bem sofrer... E no meio disso tudo, saber que existe tanta gente hipócrita, tanta gente cruel, que põe suas vaidades em primeiro plano e se esquece do verdadeiro valor da vida, que não é simbolizado por um $ e sim pelo sentimento verdadeiro. Se Deus realmente existe, e se pudesse me ouvir agora, eu falo baixinho e penso muito em dias melhores... Que essa angustia passe... Minha casa precisa de um pouco de felicidade. Vou lutar até o fim! Só preciso de conforto e um pouco de carinho...